UNIVERSO CMDV

Relaxe, pela sua saúde oral!

A literatura científica aponta para uma redução de cerca de 70% da prevalência da cárie dentária nos últimos 30 anos, bem como uma melhoria na diminuição dos efeitos das doenças periodontais através do uso de pastas fluoretadas e da educação para a higiene oral diária. Apesar disso, nos últimos anos temos assistido ao aparecimento de um novo desafio para a Medicina Dentária: o stress.

O stress é a resposta do nosso corpo a um evento ou a uma situação de pressão na nossa vida que causa tensão física, emocional ou mental. Existe uma série de factores individuais que influenciam o impacto do stress na nossa vida, desde o contexto social e económico até à nossa predisposição genética e ambiente em que vivemos. Quando nos sentimos stressados, adrenalina e hormonas do stress (como, por exemplo, o cortisol) são libertados na corrente sanguínea para preparar o corpo para a resposta de "luta ou fuga". Durante essa resposta, o batimento cardíaco aumenta, a respiração é mais rápida, os músculos contraem e a pressão arterial aumenta.

O corpo humano está delineado de modo a lidar com pequenas quantidades de stress, sobretudo canalizadas para um único momento. Não estamos, no entanto, preparados para lidar com o stress a longo prazo, de forma continuada. Podemos ficar cansados, sem capacidade de resposta. E o corpo pode sofrer com isso. O stress excessivo pode levar a problemas de saúde e mudanças comportamentais do estilo de vida: aumentar hábitos tabágicos, aumentar a ingestão de álcool, opções alimentares pouco saudáveis, tornar-se fisicamente inactivo, negligência da higiene corporal e oral.

É fácil perceber que a redução da eficácia da higiene oral diária contribui directamente para o desenvolvimento de cáries e para o aumento das inflamações gengivais. Mas o stress influencia a saúde oral a um nível mais profundo: há evidência de que o cortisol (a hormona do stress) desempenha um papel no aumento da destruição periodontal e de que também actua na supressão do sistema imunológico, permitindo que as bactérias proliferem na boca.

Cada vez mais pacientes procuram os profissionais de saúde oral para o tratamento de outro tipo de problemas orais influenciados pelo stress: o bruxismo e a disfunção da ATM (articulação temporo-mandibular). Uma reacção comum ao stress é o ranger ou o apertamento dos dentes - bruxismo, feito durante o dia ou durante a noite, geralmente de forma inconsciente. Este hábito parafuncional pode levar ao desgaste dos dentes, à ocorrência de fracturas dentárias e de restaurações; pode levar à mialgia (dor muscular) na ATM, face, ouvido e cabeça, bem como alterações artríticas na própria ATM - disfunção temporo-mandibular. Esta última condição pode ter sintomas como: estalidos ou deslocamento na ATM durante a abertura de boca, que pode ficar limitada, dor na ATM ao abrir e fechar a boca, ao mastigar ou bocejar, até sensibilidade dentária.

Enfim, procure o equilíbrio no seu dia-a-dia de forma a reduzir as situações de stress. Embora possa nunca ter-se apercebido, a sua saúde oral também sairá beneficiada.

Drª. Damiana Fernandes
Higienista Oral
2019-06-11